Henrique – 2nd month

with No Comments
O segundo mês do Henrique foi similar ao primeiro: muito mau.
As cólicas continuaram, continuava a adormecer depois das 2h da manhã, acordava de 2h em 2h, chorava o tempo todo, tinha que estar sempre ao colo, etc., etc., etc.
Havia duas coisas que ajudavam a atenuar o mal-estar (dele e nosso...): ligar o meu secador do cabelo e pô-lo no fraldário.
Quanto ao secador de cabelo, em parte é fácil perceber porquê. Os recém-nascidos gostam dos ruídos brancos, pois assemelham-se ao ruído dentro do útero da mãe, local onde eles estavam mesmo, mesmo bem. Por isso, à partida, qualquer ruído branco ajuda a acalmar um recém-nascido inquieto. Eu disse à partida, porque com o Henrique não era qualquer ruído branco. Era O MEU secador. E só aquele secador! 
Não tenho a certeza porquê, mas imagino que como eu utilizei aquele secador durante toda a gravidez mais do que uma vez por semana (na verdade é o meu secador há mais de 10 anos....), ele reconhecia o barulho de quando o ouvia de dentro da minha barriga. 
E meus amigos... eu temi pela vida do meu secador! Tive muita pena dele! E de mim, pois temi que ele avariasse, tais foram as horas seguidas que ele trabalhou! 
Chegámos a pensar que ele estava viciado no secador e tentávamos que ele se desabituasse, mas já eramos nós também em desespero e lá ligavamos o aparelho. O pai só dizia que já nao podia ouvir a m**** do secador e eu já nem o ouvia. Ao secador... 
Aquele barulho já estava tão penetrado como música ambiente na nossa casa, que eu já nem me apercebia que estava ligado. 
Tentávamos as aplicações dos telemóveis, mas não eram tão eficazes. 
O aspirador também funcionava bem, mas por uma questão de limpeza/higiene do ar, não é aconselhável. 
Mas bom... como tudo o resto, lá passou esta fase.
A outra atividade que ajudava a acalmar o bebé, era metê-lo no fraldário. Ainda hoje é o sitio preferido dele. 
Até podia ser uma coisa boa, por exemplo se estivesse no quarto, pelo que com proteções à volta eu poderia estar na cama e ele lá.
Mas não. Está... na casa-de-banho! 
Pelo que eu passei tardes e tardes... na casa de banho. Ora em pé, ora sentada na borda da banheira, ora sentada numa cadeira. 
Super confortável! 
Depois com o secador ligado à mistura, num espaço tão pequeno, era espetacular... 
Continuei a não almoçar, a jantar com ele na mama, a não fazer mais nada do que estar com ele ao colo. 
Ele teve uma fase que queria mamar de hora a hora, o que também não foi nada bom.
Até que, depois de tanto tempo, tomei uma decisão: ir para Portugal para casa dos meus pais. 
O marido ia viajar todo o Verão e era impensável ficar semanas a fio dia e noite sozinha com um recém-nascido. 
Em casa dos meus pais sabia que não tinha que me preocupar com a comida, nem com limpezas, tinha mais 4 braços para embalar o Henrique e todas as condições que um bebé precisa. E eu teria o quintal, o jardim, o terraço e a minha gata para espairecer a cabeça mesmo sem sair de casa!
De uma semana para a outra decidimos e preparámos a viagem de França para Portugal com um bebé de 1,5 meses.
Mas sobre a viagem falarei mais tarde.
Deixou de ser um bebé sempre mal-disposto e chorão para um bebé que ria muito para nós, começou a dar pequenas gargalhadas, a querer "palrar", sempre muito atento quando falavamos para ele e a devorar tudo com os olhos. 
Passear ao colo, seja em casa ou na rua, era o passatempo preferido dele. 
Dormir continuaca a não ser a atividade preferida dele, mas começámos a ter progressos. 
O Henrique ja fez os 2 meses em Portugal e a partir dai tudo foi melhorando. 
Aos poucos, mas foi melhorando. 
Fiquem por ai para saber! 😉

Leave a Reply