Avignon

with No Comments
Há dois fins-de-semana atrás, em jeito de comemoração do meu aniversário, fim-de-semana grande e para aproveitar enquanto ainda posso fazer viagens de carro mais ou menos "longas", rumámos até ao Sul de França.
Destino principal: Avignon na região Provence-Alpes-Côte d’Azur.
 
 
Para começar, deixo-vos um pequeno resumo histórico:
 
Avignon é uma pequena cidade histórica, considerada Património da Humanidade pela UNESCO.
Durante vários anos, Avignon foi a Cidade dos Papas, quando o Papa Clemente V, em 1309 se mudou para esta cidade Francesa transferindo de Roma para Avignon a sede da Santa Sé, tornando-se assim na capital mundial do cristianismo.
Esta mudança resultou de interesses políticos e económicos e durou até 1377.
Clemente V mandou construir muralhas em torno da cidade, que ainda hoje estão muito bem conservadas.
Em 1335, o Papa Bento XII mandou construir o Palais des Papes, um palácio de estilo gótico e 10 torres, que protegiam o palácio Papal de ataques.
Em 1377 a sede da Igreja Católica voltou para Itália quando o Papa Gregório XI deixou Avignon.
No entanto, ele morreu no ano seguinte e a Igreja elegeu um novo Papa, desta vez Italiano.
A parte francesa do Clero considerou essa eleição inválida e decidiu escolher um outro Papa: Clemente VII, que voltou a morar em Avignon.
E é por isso que durante 30 anos a Igreja Católica teve dois papas, um em Itália e outro em França.
 
A seguir ao Palais des Papes, a ponte Saint-Bénézet é a atração da cidade.
Foi construída entre 1177 e 1185 sobre o rio Rhône, muito antes da crise católica.
Inicialmente era constituída por 22 arcos, fazia a ligação entre Avignon à vila de Villeneuve-lès-Avignon, tinha 900 metros de comprimento e 4.9 metros de largura.
Enchentes do rio, invasões e abandono, levaram a que atualmente apenas existam 4 arcos.  
A ponte, é também famosa pela canção infantil francesa "Sur le pont d'Avignon" que, segundo consta, não corresponde totalmente à realidade pois nunca se lá dançou.

Os nossos passeios de carro, começam quase sempre da mesma forma. Saímos de casa sem pressas, com a lancheira na mala, apreciamos a viagem e almoçamos onde calhar.
Eu adoro fazer picnics!
Neste dia, a meteorologia não estava muito agradável, pelo que nem montamos o estaminé no jardim.
Foi mesmo abrir a mala do carro, preparar as coisas e comer protegendo-nos do vento ao mesmo tempo! Estava frescote!

Quando chegámos, fomos ao hotel fazer o check in e deixar a mala.
Não há muito por onde escolher a nível de hotéis no centro histórico de Avignon.
Há 3 ou 4 hotéis pequenos e sem estacionamento.
Ficámos no hotel de duas estrelas Le Magnan, bem no centro da cidade.
Apesar de ser um hotel de duas estrelas, posso garantir-vos que é muito melhor do que alguns hotéis de 3 e 4 estrelas por onde já passei em França!
Restaurado há pouco tempo, os quartos são limpos, têm muito bom aspeto e deu gosto lá ter ficado.
No Booking, está muito bem pontuado.

Depois do hotel fizemos-nos ao caminho.
Percorremos a cidade até chegarmos ao Palais des Papes.

O homem ia com grandes expectativas para esta visita, mas saiu de lá completamente desiludido.
Na verdade, eu também!
Em toda a visita só se vêm... paredes! Paredes de pedra!
Estávamos à espera de ver algum recheio, mas nada! Só pedra!
Foi uma desilusão, diga-se! O preço do bilhete (13,50 euros por adulto) não justifica o que se vê.

No preço do bilhete está também incluída a subida à ponte.
Se se comprar à parte a ida só à ponte, paga-se cerca de 5 euros.
Também considero um pouco exagerado!

A cidade não é assim tãooo pequena quanto isso.
Em 2014 tinha mais de 92.000 habitantes, o que nos justifica a surpresa de vermos várias ruas exclusivamente comerciais com todas as cadeias de lojas que conhecemos.

Quanto a refeições, existe muito onde comer.
Nós recorremos sempre ao TripAdvisor.
No entanto, fartámos-nos de caminhar porque os restaurantes que escolhemos, ou estavam fechados ou estavam cheios.
Uma surpresa também, foi o facto de quando o restaurante está cheio, não nos mandam esperar se quisermos.
Mandam-nos logo embora! lol....

Lá encontrámos um Italiano muito bom, a Casa Castagno onde comemos umas massas frescas fabulosas.
Só pecaram pelo facto de serem... muito pequenas!
O meu ravioli tinha..... 6 raviolis! SEIS!
No mínimo eu comia mais 6!
Claro que depois tivemos que comer sobremesa para não ficarmos com fome!

Um outro restaurante é o conhecido Buffalo Grill em Montélimar.
Nunca tínhamos testado esta cadeia de restaurantes em França, mas é tipo o MacDonalds.... sempre bom em qualquer parte do mundo!

Na subida para casa, passámos por outra cidade - Orange conhecida pelo Teatro Antigo, um dos teatros romanos mais conservados do mundo.
No entanto nós já estávamos tão desiludidos por ver visto só pedra em Avignon, que não nos apeteceu ver o teatro desta vez.
Isso, e o facto de estar imenso frio com vento!
Fica para outra altura.
A fotografia foi retirada da Web.

Continuámos a subir até casa, fomos parando aqui e ali para apreciar a paisagem e chegámos.
Cansados, mas felizes! 🙂

Leave a Reply